Uma noite ao som de mestres da viola

Miltinho Edilberto, Fernando Sodré e Pereira da Viola marcam a presença da viola na música universal
Miltinho Edilberto, Fernando Sodré e Pereira da Viola marcam a presença da viola na música universal

Por Lílian Macedo*

Três grandes mestres da viola – Fernando Sodré, Miltinho Edilberto e Pereira da Viola – se juntam em um espetáculo nesta quarta-feira, 14, onde a viola é a protagonista da noite. Esses três ases da viola levam o público a um verdadeiro passeio pelo universo do instrumento. Um espetáculo onde trinta cordas se misturam criando um diálogo em várias línguas, sotaques e sabores variados.

No repertório, canções autorais como “Tá no Tombo” de Pereira da Viola e João Evangelista Rodrigues, peças tradicionais da música popular brasileira como “Feira De Mangaio” de Glorinha Gadelha e Sivuca, releituras de clássicos como Eleanor Rigby dos Beatles e momentos ímpares como os três no palco tocando Bolero de Ravel.

Um encontro inédito, onde a alegria de tocar e a vivência desses mestres neste instrumento tão brasileiro, reforça ainda mais a importância da viola caipira na música mundial, apontando novos caminhos para futuras gerações. “Violas Brasileiras” retrata o que é a viola hoje no Brasil. Mostrando seu universo, suas diferentes linguagens e enfatizando a versatilidade e universalidade da viola brasileira.

Fernando Sodré, expoente da efervescente nova geração de instrumentistas brasileiros, com uma viola moderna, contemporânea e jazzista, desbravando novas possibilidades do instrumento.

Pereira da Viola traz uma linguagem muito específica, na parte da cultura popular, o violeiro mais tradicional com um repertório que inclui, aglomera e extrapola a diversidade da música de raiz.

Miltinho Edilberto, que pesquisa folclore e tradições caipiras e ousa trazendo a modernidade para a viola com temas que serviram de referência para muitos violeiros como “Trenzinho caipira” e “Bolero de Ravel”.

Encontro de ases

Fernando Sodré – Músico expoente da efervescente nova geração de instrumentistas brasileiros, o mineiro Fernando Sodré destaca-se por sua ousadia e busca constante pelo aperfeiçoamento técnico. Aos 39 anos, é reconhecido como um dos importantes da viola, universalizando-a sob o aspecto inovador. Sodré consolida-se como um real alquimista deste timbre incomum, desbravando novas possibilidades do instrumento, até então associado quase exclusivamente à cultura caipira.

Como instrumentista, compositor e arranjador, Sodré constrói uma trajetória brilhante. Apresenta de forma magistral diálogos entre diferentes gêneros: do choro ao jazz, do baião ao flamenco; todos unificados por seu estilo e toque personalíssimos, provenientes de estudos e adaptações técnicas para a execução da viola brasileira.

Fernando Sodré já dividiu palcos com músicos como Hamilton de Holanda, Toninho Horta, Almir Sater, Roberto Correa, Juarez Moreira, entre outros.

Miltinho Edilberto é músico, produtor, pesquisador de Cultura Popular, compositor premiado em vários Festivais, vencedor do “Prêmio Sharp” (Atual Prêmio TIM), vencedor pela internet do “Festival Cultura: A Nova Música do Brasil” (TV Cultura) entre outros títulos acumulados desde o início de sua carreira artística. Miltinho possui composições utilizadas em trilhas de programas da Rede Globo como a novela “O Clone”, “Globo Repórter”, “Fantástico”, “Big Brother Brasil”, “Mais Você”, ” Amor e Sexo” e  “Super Star”.

Se apresentando com freqüência no premiadíssimo “Sr Brasil”, com Rolando Boldrin  e “Viola, minha viola” com Inezita Barroso  (TV Cultura), Miltinho Edilberto é considerado pela crítica como um dos violeiros mais completos do Brasil. Conheceu os grandes mestres da viola como Tião Carreiro, Renato Andrade, Zé Côco do Riachão e Helena Meirelles. Como compositor, foi gravado por Maria Bethânia, Maria Gadú, Banda Bicho de pé, Sérgio Reis, Trio Nordestino, Falamansa, entre outros.Desde a tradicional Viola Caipira, que o consagrou como um dos principais instrumentistas do gênero, até o Forró Pé-de-Serra.

Pereira da Viola – Cantor, compositor e violeiro. Nascido na Comunidade Quilombola de São Julião – município de Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri, em Minas Gerais, é um destes raros exemplares de músicos ligados à sua origem, que conservam ao longo de sua carreira as características marcantes de sua história pessoal, da terra onde cresceu e assim desenvolveu sua veia poética e a capacidade de retratar, como compositor, o universo rural do qual fazia parte, com a visão entremeada pela influência de suas origens caipira, negra e indígena. Tornou-se, em pouco tempo, a partir do final da década de 90, um dos mais aclamados representantes do universo rural brasileiro, reconhecido por grandes gênios da música brasileira, agraciado pelo público e pela crítica, consagrado como grande representante das artes do Brasil e de Minas Gerais.

Violas Brasileiras – Fernando Sodré, Miltinho Edilberto e Pereira da Viola

Data: 14 de setembro, 2016

Horário: 21 horas

Local: Teatro Bradesco- Rua da Bahia, 2244 – Lourdes, Belo Horizonte – MG

Ingresso: 40,00 inteira

Vendas a partir de 03/agosto na bilheteria e pelo site http://www.compreingressos.com

Informações: 31 3516-1360 – teatrobradescobh.com.br

*Lílian Macedo é responsável pela divulgação deste evento

Matéria publicada originalmente no site Dom Total

Anúncios

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s